Google+

Será que as tatuagens eletrônicas substituirão senhas de Internet e outras formas de identificação?

Agência de sites

Uma nova geração de tecnologia capaz de mudar a forma como nos identificamos na internet e em locais 'off-line' onde é preciso a utilização de algum tipo de senha está surgindo, mas a grande questão é: será que isso não será usado num futuro próximo para algum tipo de controle social que vai muito mais além do que simplesmente atender padrões de segurança?

Veja o que alguns sites ao redor do mundo estão falando sobre, especialmente nos Estados Unidos:  

"Você usaria uma tatuagem eletrônica, se não pudesse fazer logon na internet  de outra forma? Isso pode parecer loucura para muitos de vocês, mas a tecnologia para esse sistema já existe. Tatuagens RFID já existem há algum tempo, e já estão sendo usadas em animais. Mas agora toda uma nova geração de tatuagens eletrônicas estão sendo desenvolvida para monitorar seus sinais vitais por exemplo, interagir com o seu celular e até mesmo enviar mensagens diretas para o seu cérebro.

Estas novas tatuagens eletrônicas são mais finas que um fio de cabelo humano, e elas poderão transformar radicalmente que sabemos sobre identificação humana. Agora, a Internet está sendo absolutamente atormentada por hackers e o roubo de identidades tornou-se um negócio multi-bilionário.

É cada vez mais difícil determinar se alguém é realmente quem diz que é. E,  como o comércio eletrônico está se popularizando cada vez mais, a segurança de identidade vai ser uma questão absolutamente crítica num futuro bem próximo. Sem dúvida, isto será um impulso para o surgimento de formas mais seguras de identificação do que temos hoje. Mas há também um lado muito obscuro neste tipo de tecnologia.

E se um dia um governo fascista decidir fazer uma tatuagem eletrônica permanente para fins de identificação obrigatória em todos os cidadãos? E se você não for capaz de comprar, vender, conseguir um emprego, ter uma conta bancária ou fazer logon na Internet, sem "a devida identificação"? E se o preço para receber sua tatuagem for jurar fidelidade absoluta ao novo governo fascista? A verdade é que a tecnologia é sempre uma faca de dois gumes. Ela sempre traz consigo a promessa de progresso, mas também sempre tem um lado negro que poderia ser explorado de forma abusiva.

A nova geração de tatuagens eletrônicas é bastante notável. Elas são chamados de "Biostamps", e foram originalmente desenvolvidos para fins médicos. No entanto, como um recente artigo no Daily Mail mostrou, a Motorola acredita que essas Biostamps poderiam substituir senhas e tornar a internet um lugar muito mais seguro ...

O MC10 foi concebeu originalmente as tatuagens eletrônicas, chamadas de Biostamps, para ajudar as equipes médicas a monitorar a saúde de seus pacientes de forma remota, e sem a necessidade de grandes e caros equipamentos.

A Motorola afirma que os circuitos, que também contêm sensores de antenas e built-in, pode ser adaptados para trabalhar com telefones celulares e tablets.


 

Os dispositivos móveis podem então ser utilizados para confirmar a identidade do proprietário e logá-los em contas de maneira  automática.

Isso impediria ladrões e outras pessoas mal intencionadas de acessar um telefone ou aplicativos individuais no dispositivo, caso ele seja roubado ou perdido.

Estes Biostamps são extremamente, extremamente finos. Como mencionado acima, eles são realmente mais finos do que um fio de cabelo humano. A seguinte descrição de Biostamps foi tomada a partir de um artigo pulbliicado na revista Wired...

O desenvolvimento dessa tecnologia leva a usabilidade ao extremo, concebida como um sensor de diagnóstico não invasivo que pode ser utilizado para medir a hidratação, a atividade, e até mesmo a temperatura infantil. Liga-se à pele, como uma espécie de tatuagem temporária, flexionando e dobra em sincronia com a sua pele da maneira que você desejar, como um Band-Aid faria. Mas como isso acontece? Pesquisadores da Universidade de Illinois, Dalian University of Technology na China, e da Universidade da Califórnia em San Diego conseguiram fazer com que isso se ficasse muito, muito pequeno mesmo.

Com uma espessura de 0,8 micrômetros no máximo - cerca de um milésimo do diâmetro de um fio  de cabelo - a malha fina de silício, na verdade, aninha-se aos sulcos e vincos da pele, mesmo as que são muito pequenas para ver a olho nú. O silicone é aplicado em um padrão de serpentina e ligado a um substrato de borracha macia, permitindo que o material rígido se torne flexível, como uma espécie de acordeão.

Mas por que esse tipo de tecnologia é tão necessária na internet?

Afinal de contas, nossas senhas não funcionam bem?

Na verdade, estamos chegando rapidamente ao ponto onde as senhas não passam de uma piada. Hackers estão se tornando tão sofisticados que podem quebrar as mais longas senhas com muita facilidade...

Uma equipe de hackers, contratada pelo site de tecnologia Ars Technica, recentemente conseguiu quebrar mais de 14.800 senhas supostamente aleatórias - a partir de uma lista de 16.449 -, como parte de um experimento hacking.

A taxa de sucesso para cada um dos hackers variou entre 62% e 90%, o hacker que quebrou 90% das senhas fez isso em menos de uma hora usando um cluster de computadores.

Os hackers também conseguiram quebrar senhas de 16 caracteres, incluindo combinações aleatórias como 'qeadzcwrsfxv1331.

As pessoas ficam alarmadas quando leem isso?

Obviamente, precisamos de um sistema melhor.

Mas, pessoalmente, eu nunca pretendi usar uma tatuagem eletrônica, que é em última análise algo muito invasivo.

Infelizmente, este tipo de tecnologia vai ser fortemente imposta nos próximos anos. De acordo com a revista Wired , mesmo os militares dos EUA estão dedicando recursos para o desenvolvimento de tecnologia de tatuagem eletrônica...

Em sua busca contínua para medir todos os aspectos da fisiologia das tropas dos Estados Unidos, os pesquisadores do Pentágono estão buscando desenvolver um dispositivo discreto, durável, que pode acompanhar a resposta física do organismo ao estresse. Cientistas militares acreditam que o uso do dispositivo - de preferência uma tatuagem - para monitorar a freqüência cardíaca, temperatura ou sinais bio-elétricos de resposta durante várias situações de treinamento irá ajudá-los a aumentar o desempenho das tropas combatendo a fadiga dos soldados.

Outra tendência importante é o desenvolvimento de dispositivos eletrônicos que podemos controlar diretamente com a mente. No passado, esse tipo de tecnologia era coisa de romances de ficção científica, mas agora até mesmo o New York Times está escrevendo sobre isso...


 

Logo, poderemos interagir com os nossos smartphones e computadores simplesmente usando nossas mentes. Em poucos anos, poderemos ligar as luzes em casa apenas pensando nisso, ou enviando um e-mail de nosso smartphone, mesmo sem tirar o dispositivo do nosso bolso. Em um futuro distante, o seu assistente robô aparecerá ao seu lado com um copo de limonada, simplesmente porque ele sabe que você está com sede.

Pesquisadores do Emerging Technology Lab da Samsung estão testando tablets que podem ser controlados pelo cérebro, usando um boné que se assemelha a um capacete de esqui cravejado com eletrodos de monitoramento, segundo informou o MIT Technology Review, a revista de ciência e tecnologia do Instituto de Massachusetts.

A tecnologia, chamada de uma interface cérebro/computador, foi concebida para permitir que as pessoas com paralisia e outras deficiências possam interagir com computadores ou controlar braços robóticos,  simplesmente pensando em tais ações. Em pouco tempo, essas tecnologias poderão muito bem estar em eletrônicos de consumo de massa.

Então, o que se podemos deduzir duas tendências mostradas a acima?

E se uma tatuagem eletrônica pudesse permitir que você opere seu computador tablet, envie um e-mail, voar um drone ou até mesmo "falar" telepaticamente usando apenas sua mente?

Na verdade, os pesquisadores já estão trabalhando em tais tecnologias. Veremos seguir um recente artigo escrito por Charles Q. Choi...

Mas implantes cerebrais são tecnologias invasivas, e provavelmente só deveriam ser usados em pessoas com necessidades médicas especiais. Em vez disso, o engenheiro elétrico Todd Coleman, da Universidade da Califórnia em San Diego trabalha na elaboração de meios não invasivos de máquinas controladas através da mente, uma tecnologia que praticamente todo mundo poderia ser capaz de usar.

Sua equipe está desenvolvendo uma forma de adesivo flexível sem fio pode-se aplicar na testa, assim como tatuagens temporárias para ler a atividade cerebral.

"Queremos algo que possamos usar no bar para nos divertir", diz Coleman.

Os dispositivos tem menos de 100 mícrons de espessura, o diâmetro médio de um fio cabelo. Ele consiste de um circuito integrado com uma camada de poliéster ou de borracha que lhes permitem esticar, curvar e se adaptar as rugas da pele. Eles são pouco visíveis quando colocado sobre a pele, tornando-os imperceptíveis para os outros.

Os dispositivos podem detectar sinais elétricos ligados com as ondas cerebrais, e incorporar células solares para energia e antenas que lhes permitem se comunicar sem fios ou receber energia. Outros elementos podem ser adicionados, tais como, sensores térmicos para monitorar a temperatura da pele e detectores de luz para analisar os níveis de oxigênio no sangue.


 

Vivemos numa época em que a tecnologia está avançando a uma razão exponencial. Às vezes temos certa dificuldade em acreditar em alguns dos avanços tecnológicos sobre os quais escrevemos. O mundo estará muito, muito diferente daqui a dez anos.

Mas será que essas mudanças serão para melhor?

A tecnologia está avançando a um ritmo tão rápido nunca visto antes, mas, ao mesmo tempo a impressão que se tem é de que o mundo está se tornando um lugar cada vez mais instável.

Poderia a tecnologia que nos permite interagir com o meio ambiente usando nossas mentes realmente ser usada para controlar nossas mentes por um futuro governo totalitário? 

Isso nos parece perfeitamente possível.

Poderia a tecnologia que nos ajuda a nos identificarmos na internet um dia ser usada para marcar-nos como gado e forçar toda a humanidade em um sistema obscuro de controle e escravidão?

Não pense que um sistema totalitário não poderia surgir em nosso mundo moderno. Direitos e liberdades estão sendo tirados de pessoas em todo o mundo agora mesmo quando as coisas ainda são relativamente estáveis.

Mas e se o por 'acidente' esta estabilidade ficar comprometida, será que os governos não recorreriam a qualquer tipo de mecanismo existente para poder restabelecer a ordem a qualquer custo.

Então, o que poderia acontecer num mundo absolutamente devastado pelo colapso econômico, as pandemias, crime, tumultos, desastres naturais e guerras?

Isso é algo para se pensar. Não concorda?

 

 

Gostou desse artigo? Compartilhe!

Topo