Google+

Deixe de vender produtos e passe a vender valor

Fazer site gratis

Como vencer seu concorrente sem reduzir os preços? Uma maneira muito eficaz é deixar que seus concorrentes pratiquem a guerra de preços e se enfraqueçam gradualmente.

Não perca para o seu concorrente, seja qual for sua área de atuação, a melhor maneira de se destacar no mercado é concorrer em valor, e não em preço:

Existem três regrinhas bem básicas para quem quer derrotar seus concorrentes sem baixar o preço:

1. Transforme seu público-alvo no seu melhor amigo.

Para competir em valor, o primeiro passo é saber tudo sobre o seu público-alvo. Trate-o como se fosse um amigo querido, sobre o qual você quer ter todas as informações possíveis.

Algumas perguntas podem ser úteis nesse processo. Para começar, quem é o seu público-alvo? Como ele vai usar seu produto ou serviço? Como ele decide o que comprar? O que pensa dos seus concorrentes? É fundamental responder essas questões, para isso busque informação recorrendo a artigos, pesquisas, posts em redes sociais, relatórios, palestras, conversas com consultores etc. E depois analise em detalhes todo esse material, só assim você conseguirá traçar uma estratégia de ação adequada.

2. Crie uma proposta de valor que traga benefícios para o cliente, e faça dela a sua missão.

Não se trata de colocar uma placa na parede do escritório, com metas vagas e genéricas. A proposta de valor deve ser algo muito específico, que cole no seu produto e traga benefícios concretos aos clientes. Todos na sua organização devem conhecer a proposta de valor e se guiar por ela.

Precisa ser comunicada de maneira consistente em tudo que sua companhia faz, desde o material de marketing até a publicidade, passando pelo discurso da equipe de vendas. Só assim você construirá uma marca forte – e vendável.

3. Entregue o que prometeu, custe o que custar.

Cheque com os consumidores se a promessa está sendo cumprida. A sua proposta de valor trouxe benefícios reais para seus clientes? É algo palpável, com o que eles conseguem se identificar?

O valor criado pela marca faz com que os clientes se vejam nela? Em outras palavras: eles estão recebendo o que você prometeu? Se a resposta para alguma dessas perguntas for NÃO, corra atrás do prejuízo, corrigindo as falhas e cuidando da satisfação do cliente. Dessa maneira, ele nem vai lembrar que existem outros fornecedores no mercado

 

 

  

Gostou desse artigo? Compartilhe!

Topo