Google+

7 Razões para seus funcionários odiarem você

7 Razões para seus funcionários odiarem você

Vamos admitir - liderar pessoas não é uma tarefa das mais fáceis e não é para qualquer um. Pode ser que o muitas pessoas aspiram, mas a verdade é que muitos simplesmente não nasceram para isso. 

 

Então, como você pode saber se você é um bom líder ou não? Bem, o seu desempenho é refletido em sua equipe.

O mundo dos negócios mudou muito ao longo dos anos, mas uma coisa permanece a mesma: os funcionários ainda desejam poder confiar na capacidade de seus líderes e saber que estes vão responder às suas necessidades. 

Isso é fundamental no mundo corporativo de hoje, e não poderia ser diferente. Aqui estão sete razões que afetam a avaliação que seus colaboradores fazem sobre seu líder, e que podem levar sua equipe a não gostar de você:

1. Você manda, ao invés de influenciar.

Use o marketing de relacionamento para ganhar seus empregados, da mesma forma que faz para conquistar
seus clientes. O sucesso de uma empresa está em grande parte baseado no que seus funcionários fazem (ou não fazem), tanto quanto no que seus clientes fazem (ou não fazem). Então, onde está o marketing para os funcionários? Como eles estão sendo influenciados? Táticas como  "faça isto e faça aquilo" e "como você tem sorte de ter um emprego" podem ser duas fontes de 'motivação'. No entanto, a intimidação não é a resposta para uma boa estratégia de liderança no local de trabalho - assim como no mercado - mas a inclusão é. 

Como líder, você tem a oportunidade de influenciar pessoas todos os dias, efetuando mudanças através da troca. Assim, deve aproveitar cada oportunidade para envolver os funcionários, porque afinal, eles são seus clientes também. Comece o diálogo, de portas abertas, mantenha as pessoas envolvidas. Compartilhe idéias de marketing, faça pesquisa de mercado interno, obtenha feedback do seu produto.

2. Você não luta pelo seu time.

Recompensas precisam ser condicionadas a performance - é assim que você cria um comportamento de inovação
e uma equipe pró-ativa e comprometida. Mas, como você pode fazer isso se você não oferece perspectivas de crescimento para seus melhores colaboradores? Bons líderes mostram lealdade a suas equipes. Como você pode esperar que os funcionários se comprometam com você, quando você não se compromete com eles? Os líderes também precisam lidar com fracassados - para melhorá-los ou demiti-los pelo bem da equipe.

3. Você não confia em sua equipe para fazer o que eles fazem melhor.

Isso significa que você não conhece seus funcionários - os seus pontos fortes, fracos e capacidades - e é seu trabalho saber disso. Basta pensar em uma modalidade esportiva qualquer - por que alguns jogadores estão em determinadas posições? Uma coisa é acompanhar e monitorar o progresso da equipe. Outra, completamente inútil é interferir diretamente, sem dar espaço para a tomada de decisões, podando qualquer insight inovador.


 

4. Você demonstra indecisão e insegurança, como pode inspirar confiança em seus seguidores?

No ritmo acelerado do mundo corporativo atual, é comum para as empresas oscilarem. No entanto, deve haver metas e prioridades claras, caso contrário, o resultado será um pandemônio total do campo de jogo. Se você é muito inseguro, confuso ou indeciso, como você espera que sua equipe vá saber o que fazer? Como espera que eles confiem em você, se você não confia em si mesmo? Seu trabalho é resolver problemas, de modo a ganhar clareza, fazendo perguntas, e incentivar outros a  fazer o mesmo. Sim - Os líderes hábeis sempre fazem perguntas e, em seguida, tomam decisões apropriadas.

5. Você não escuta ou encoraja questionamentos e o feedback.

O ambiente profissional de hoje é baseado em mudanças, e uma mudança é muito mais bem sucedida quando você respeita e envolve as pessoas que deverão executá-la realmente. Seja transparente com sua equipe - sobre tudo o que sabe e não sabe, e quais são suas preocupações. Exponha uma visão mais ampla possível das prioridades, objetivos e expectativas. 

Nunca opere sob a suposição de que os funcionários sabem o que precisam saber. Obtenha feedback. Faça perguntas. Peça ajuda. Receba as preocupações dos seus colaboradores de forma aberta. Isso trará informações importantes que ajudam você a planejar e antecipar problemas. Isto não é só um grande exercício de formação de equipe, mas dá poder a todos. A mudança é muito mais bem sucedida quando você envolve as pessoas que irão executá-la. 

Relacionado: Como transformar seus funcionários em fãs

6. Você não sabe jogar em equipe.

É preciso entender alguns dos grandes atributos de quem sabe jogar em equipe, para que possamos  avaliar a nós mesmos. As principais características de bons jogadores são: confiabilidade, ser solidário e positivo, adaptável e acessível. Isso descreve você? Se isso não acontecer, então lembre-se: a única pessoa que realmente controla seus pensamentos e suas ações é você mesmo. Assim, procure corrigi-los o mais rápido possível. Desta forma você pode se tornar uma pessoa melhor, um companheiro de equipe melhor, um líder melhor. Como você pode esperar que sua equipe tenha esses atributos quando você mesmo não demonstra ter?

7. Você não gosta de pessoas.

Acredite ou não - muitos executivos são colocados em posições de liderança, mas jamais deveriam estar ali. Eles podem ser fantásticos em suas especialidades - tecnologia, finanças, design - mas eles absolutamente não têm habilidade com pessoas.

Gestão é tudo sobre o processo. Liderança é tudo sobre pessoas. Você tem que amar trabalhar com pessoas para estar neste papel. Se não, encontre um líder para fazer isso na sua empresa ou simplesmente vá fazer outra coisa. 

A verdadeira liderança e trabalho em equipe dá um sentido para os negócios. Ela tem o poder de inflamar alto desempenho e produtividade, e é o combustível que leva as empresas ao sucesso.

 

Dica de leitura:

POR QUE AS PESSOAS ODEIAM SEUS CHEFES?: 
AS 30 RECLAMAÇÕES E O QUE FAZER PARA CONQUISTAR A SATISFAÇÃO E O COMPROMETIMENTO DE SUA EQUIPE
Autor: Bruce L. Katcher | Adam Snyder
Editora: Sextante

 

 

 

  

 

Gostou desse artigo? Compartilhe!

Topo