Google+

Sobre inteligência emocional no trabalho

Sobre inteligência emocional no trabalho

O termo 'inteligência emocional' surgiu no início da década de 90 e rapidamente foi adotado pelo mundo corporativo. Segundo o conceito, fatores como perseverança, auto-controle e facilidade de relacionamento são importantíssimos para determinar o sucesso do indivíduo.

Muito tem se falado sobre como podemos melhorar a inteligência emocional dos empregados, mas a verdade é que recrutadores tendem a escolher candidatos que já possuam 'pontuações' mais altas nessa área.

Uma coisa muito importante hoje quando se trata de recrutar a pessoa certa para a equipe é justamente procurar se conectar ao máximo com os colaboradores e candidatos a emprego. Isso se deve ao fato de que, para manter a cultura da empresa e poder contratar com maior eficiência é preciso se envolver e demonstrar mais e mais transparência.

Colaboradores com inteligência emocional mais elevada demonstram maior facilidade para trabalhar em equipe e são mais flexíveis na hora de encarar mudanças. 

Fatores como formação acadêmica ficam em segundo plano, se a pessoa não tiver certas qualidades emocionais é pouco provável que possa ter sucesso.

A evolução do mercado que abre cada vez mais espaço para novas tecnologias e inovações em todas as áreas faz com que as habilidades emocionais se tornem cada vez mais importantes. No livro Inteligência Emocional (À venda na Saraiva: http://oferta.vc/epPf), Daniel Goleman apresenta cinco categorias de inteligência emocional que podem fazer a diferença na hora de contratar seus futuros colaboradores.

Procure dar mais atenção para aqueles que apresentarem alguns desses cinco aspectos:

Auto-consciência
Se uma pessoa tem um saudável senso de auto-consciência, ela entende suas próprias potencialidades e limitações, bem como a forma como suas ações afetam os outros. Uma pessoa que se conhece é geralmente mais capaz de lidar e aprender com as críticas construtivas do que aquela que não tem essa habilidade.

Auto-regulação
Uma pessoa com uma boa inteligência emocional pode revelar suas emoções com maturidade e moderação quando necessário. Em vez de sufocar seus sentimentos, ela saberá expressá-los com moderação e controle.

Motivação
Pessoas emocionalmente inteligentes são auto-motivadas. Elas não são movidas simplesmente por dinheiro ou status. Elas são geralmente resilientes e otimistas quando se deparam com decepções e costumam ser impulsionadas por uma ambição interior.

Empatia
É mais provável que uma pessoa que tenha empatia também tenha compaixão e uma compreensão da natureza humana que lhe permita se conectar com outras pessoas em um nível emocional. A capacidade de empatia permite que uma pessoa preste um excelente serviço e responda de forma mais verdadeira às preocupações dos outros.

Habilidades pessoais
Indivíduos emocionalmente inteligentes são capazes de construir relacionamentos de confiança rapidamente com os integrantes de uma equipe. Eles evitam lutas por poder e traição. Geralmente gostam de outras pessoas e tem o respeito dos outros ao seu redor.

Relacionado:
Sinais de que seu negócio tem uma forte cultura empresarial

Da mesma forma como é importante recrutar pessoas com níveis mais altos de inteligência emocional, também é vital para gerentes e empreendedores trabalhar de maneira emocionalmente inteligente para satisfazer as necessidades dos colaboradores de hoje.

Muitos trabalhadores mais velhos começaram suas carreiras nas mesmas empresas onde se aposentaram. Para muitos das gerações anteriores um emprego era visto simplesmente como uma maneira de se ganhar a vida honestamente. Hoje no entanto, a maioria das pessoas quer mais de suas carreiras do que simplesmente um salário no final do mês.

As novas gerações perceberam que a visão tradicional nem sempre funciona, justamente porque tem visto colegas mais velhos se decepcionando no local de trabalho.

Identificar qualidades emocionais nos colaboradores pode parecer uma tarefa difícil mas a verdade é que vale muito a pena prestar atenção nisso. Investir em inteligência emocional pode trazer colaboradores mais engajados e comprometidos com a cultura da empresa.

 

Gostou desse artigo? Compartilhe!

Topo