Google+

Faremos upload de nossas mentes para computadores em 2045



Faremos upload de nossas mentes para computadores em 2045 e os nossos corpos serão substituídos por máquinas dentro de 90 anos, afirma especialista do Google.

Ray Kurzweil, diretor de engenharia da Google, acredita que seremos capazes de fazer upload de todo o nosso cérebro para computadores dentro dos próximos 32 anos - um evento conhecido como 'SINGULARITY'. As 'frágeis' partes do corpo humano serão substituídas por máquinas na virada do século. E se essas previsões se tornarem realidade, poderiam fazer os seres humanos imortais.

Em pouco mais de 30 anos, o homem será capaz de fazer upload de suas mentes para super-computadores e tornar-se imortal digitalmente - em um evento chamado 'SINGULARITY' (singularidade) - de acordo com um visionário do Google.

Ray Kurzweil, diretor de engenharia da Google, também afirma que as partes biológicas do nosso corpo serão substituídas por peças mecânicas e isso poderia acontecer por volta de 2100. Kurzweil fez as afirmações durante o seu discurso na conferência 'Congresso Internacional Global Futures 2045' em Nova York. A conferência foi criada pelo multimilionário russo Dmitry Itskov e contou com palestras visionarias sobre como será o mundo em 2045.

Segundo Kurzweil: "Com base em estimativas conservadoras da quantidade de computação que você precisa para simular funcionalmente um cérebro humano, nós seremos capazes de ampliar o alcance de nossa inteligência em um bilhão de vezes. "Ele se referiu à Lei de Moore, que afirma que o poder da computação duplica, em média, a cada dois anos, citando os desenvolvimentos de sequenciamento genético e de impressão 3D. No livro de Kurzweil, The Singularity Is Near, ele demonstra este desenvolvimento rumo a singularidade em um gráfico.

Mas o que é exatamente SINGULARITY?

Singularidade tecnológica é o desenvolvimento de "superinteligência" provocada pelo uso de tecnologia. O primeiro uso do termo "singularidade" referindo-se às mentes tecnológicas foi pelo matemático John von Neumann, em meados dos anos 1950.

Ele disse: 'parece possível acelerar o progresso da tecnologia e alterando de tal forma nossa condição humana, o que sugere uma aproximação de uma espécie de singularidade inédita na história da raça além na qual os aspectos humanos, como nós os conhecemos, certamente seriam interrompidos'.

O termo foi, então, utilizado pelo escritor de ficção científica Vernor Vinge que sugeriu que as interfaces believesbrain-computer concretizariam o conceito da singularidade como descrito por Neumann.

Imortalidade digital

Ray Kurzweil citou o conceito que Neumann escreveu em um prefácio para o clássico de "o computador e o cérebro". Kurzweil prevê que a singularidade poderá ocorrer em torno de 2045, enquanto Vinge prevê que vai acontecer antes de 2030. Essa singularidade é também referida como a imortalidade digital, porque o cérebro e inteligência de uma pessoa serão armazenados digitalmente para sempre, mesmo depois que ela morrer.

Ele também acrescentou que isso será possível por meio de engenharia neural fazendo referencia também aos avanços recentes feitos para modelar o cérebro e tecnologias que podem substituir as funções biológicas. Exemplos deste tipo de tecnologia dadas pela LiveScience incluem o implante coclear - um implante que está ligado ao nervo coclear do cérebro para estimula-lo eletronicamente para restaurar a audição de alguém que é surdo. Outros exemplos incluem a tecnologia que pode restaurar habilidades motoras após o sistema nervoso ser danificado.

No início deste ano, os médicos da Universidade de Cornell usaram a impressão 3D para criar uma prótese de orelha usando células de cartilagem. Um molde de plástico sólido foi impresso e, em seguida, preenchido com colágeno, uma espécie de gel de alta densidade de células de cartilagem.

Gostou desse artigo? Compartilhe!

Topo