Google+

Empresa holandesa cria geração de turbinas eólicas urbanas

Seria possível instalar um turbina eólica no telhado da sua casa para gerar 50% de toda a energia que você consome? Se imaginarmos todo o barulho produzido pelas lâminas, a primeira resposta seria não, isso não é possível.

A ideia de usar turbinas de vento para geração de energia em residências podia ter muitos argumentos contrários a ela, e o principal é justamente o citado acima, o barulho. Além de que a capacidade de geração de energia dos equipamentos atuais é bem reduzida.

Mas uma empresa sediada em Roterdã, na Holanda está disposta a derrubar todos esses argumentos contrários, usando princípios e reconstruindo projetos de Arquimedes.

A empresa, também chamada de Arquimedes, revelou seu Turbine Liam F1 Urban Wind. O Liam, segundo os construtores, inaugura uma "nova geração de turbinas de vento para uso doméstico."

A turbina se encaixa facilmente no telhado de uma casa, assim como acontece com painéis solares. O Liam F1 gera uma média de 1.500 quilowatts-hora de energia a uma velocidade do vento de 5 m/s, o que se assemelha a metade do consumo de energia de uma casa comum.

Em combinação com painéis solares instalados no telhado, uma família poderia ser totalmente auto-sustentável
no quesito energia. O CEO da empresa, Richard Ruijtenbeek disse, que "quando há vento você usa a energia produzida por uma turbina eólica, quando o sol está brilhando você usa as células solares para produzir a energia."

Devido ao seu design, o Liam resolve as limitações de eficiência e ruído. O inventor, Marinus Mieremet,
CTO da empresa, criou um tipo de turbina que é praticamente silencioso. O Liam é baseado nas "as leis da natureza e as teorias do matemático grego Arquimedes."

A forma do Liam é uma concha marinha que se ajusta automaticamente a posição da corrente de vento, maximizando assim sua produção de energia. De acordo com a empresa o rendimento máximo é de até 80%. 

Explicando a criação, de acordo com a companhia, "a maioria das turbinas eólicas exigem que uma diferença de pressão entre a parte dianteira e a parte traseira das pás do rotor seja mantida, a fim de ser eficaz. Contudo, esta diferença de pressão, também tem um efeito negativo chamado 'drag'.

O rotor da nossa turbina capta a energia cinética do vento, devido à sua velocidade e, invertendo o vento acaba
reduzindo o efeito 'drag' a quase zero.

Ao fazer isso, o efeito da velocidade do vento (energia cinética) em que a potência do rotor está maximizada
e "elevada" é obtida por aceleração do vento ao longo do plano do rotor." 

A Arquimedes foi fundada em 2006, por Mieremet e Ruijtenbeek. A empresa também já começou a desenvolver projetos da turbina para uso em barcos, em postes além de usar correntes de água.

 

 

 

Gostou desse artigo? Compartilhe!

Topo