Google+

Como impedir que o Facebook espione e armazene seus dados de navegação

O Facebook divulgou na semana passada sua intenção de compartilhar os dados de navegação dos usuários com os seus parceiros de publicidade. É um movimento que a maioria dos observadores já haviam previsto, mas que o Facebook sempre negou - e com vigor.

O Facebook não pode capturar dados quando você visita um site qualquer, apenas aqueles que fizeram uma parceria com ele. Basicamente, qualquer site que tenha um botão "like" ou que lhe permite fazer login com suas credenciais do Facebook, só então ele irá armazenar os dados sobre sua visita em seu navegador, que mais tarde serão lidos pelos algorítimos deles, claro.

Veja como o Facebook descreve essa ação em seus Termos de Serviço:

"Nós e nossas afiliadas, terceiros e outros parceiros (" parceiros ") usamos essas tecnologias para fins de segurança e para fornecer produtos, serviços e anúncios, bem como entender como esses produtos, serviços e anúncios são usados. Com estas tecnologias, um site ou aplicativo pode guardar informação no seu navegador ou dispositivo mobile e depois ler essas informações."

O Facebook também lançou um vídeo para anunciantes e usuários na quinta de manhã, explicando as práticas de segmentação da empresa. Um mantra comum entre as empresas que vendem espaços de publicidade na web é que elas estão realmente fazendo um favor aos consumidores, recolhendo a informação que precisam para na sequência lhes mostrar anúncios mais relevantes.

O que fazer (e o que não se preocupar em fazer).

Se você não quiser que o Facebook colete e transmita seus dados de navegação, você pode tomar algumas medidas para impedi-lo.

Mas primeiro, aqui está o que você não deve fazer, se não quiser perder tempo.

Existe um site chamado "Your Add Choices" - (Suas escolhas de anúncios), que oferece aos consumidores uma forma de "opt-out". Este site permite que você opte por não receber anúncios que tenham sido dirigidos a você com base em seus dados de navegação. Mas não se engane, eles não vão deixar você dar "opt-out" nas grandes empresas - como o Facebook por exemplo - que colhem dados de navegação de usuários.

Também não se pode esperar que esse 'alívio' seja real, tentando ajustar suas configurações de privacidade diretamente no Facebook. O Facebook anunciou hoje (12 de junho de 2014) que irá lançar as "preferências de anúncio", uma nova ferramenta acessível a partir de todos os anúncios que aparecem no feed de notícias e que "explica por que você está vendo um anúncio específico e permite que você adicione e remova os interesses que usamos para mostrar anúncios."


 

Mas é claro que eles não estão lhe oferecendo uma maneira de impedi-los de coletar seus dados de navegação em primeiro lugar.  

E agora as coisas mais básicas que você pode fazer.

A notícia boa é que existem vários plug-ins nos navegadores que poderão impedir que sites como o Facebook baixem códigos no seu browser que possam determinar sua localização.

Um dos bons é o "Do Not Track Me" da Abine.com, uma empresa com sede em Washington, que se concentra em ferramentas para navegadores que protegem seus dados de navegação e outras informações pessoais.

Outras ótimas extensões para o Chrome e Firefox são o Ghostery e Disconnect.

Uma boa prática é usar um endereço de e-mail exclusivo para entrar no Facebook. Isso evita que eles conectem facilmente suas atividades de navegação com a sua identidade real.

Também evite a tentação de entrar em qualquer site ou aplicativo móvel usando suas credenciais do Facebook. Este é um convite para o site ou um aplicativo de terceiros gerar relatórios de quando você visitou e o que você olhou.

Rob Shavell, CEO da Abine, diz que não está surpreso com a notícia sobre a nova postura do Facebook"Eu acho que você vai ver um monte de empresas fazendo isso", disse Shavell. "Tendo trabalhado em uma empresa de capital de risco do Vale do Silício, eu acho que há uma bolha de dados acontecendo."

"Muito dinheiro foi investido em empresas de tecnologia de publicidade, incluindo Facebook, e com tanta expectativa em torno deles, eles terão que recolher dados de mais e mais pessoais."

"Há muita pressão para fazer com que o dinheiro investido retorne, e com grandes margens de lucro." Shavell diz que os investidores colocaram $6.5 bilhões nessas empresas de tecnologia de publicidade nos últimos dois anos.

O Facebook ainda não se pronunciou sobre esta história.

Escolha ideal para quem está começando um novo negócio.

Gostou desse artigo? Compartilhe!

Topo